Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Outro Sentido

Outro Sentido

Georgia on my mind.

IMG_20170419_183311_255.jpg

São jarros, Senhor, são jarros; flores da época de que gosto particularmente e que me fazem lembrar os quadros de Georgia O'Keefe, uma artista tão à frente da sua época que pintava imagens gigantescas de flores em close up, que atraiam o olhar para o centro do quadro e que levaram rapidamente a uma visualização sensual da sua pintura.

Consta que da primeira vez que Georgia enviou os seus desenhos ao fotógrafo Alfred Stieglitz - seu futuro marido -, este terá exclamado: "Finalmente, uma mulher no papel".

Habitat

VFacaia

Há uma casa que abriga uma piscina muito escura, rodeada de um jardim que se vai plantando. Costumas lá ir por alturas de Setembro, para fechar o verão e reunir gente querida de um ramo familiar já muito desramado. Estende-se uma mesa comprida de pratos e travessas, espalham-se cadeiras e toalhas na relva e aproveita-se a tarde para os últimos mergulhos da estação.

À tua volta, há canteiros de alfazema, pequenos buxos, cactos e sardinheiras em vasos de barro. Há também uma figueira, dois limoeiros, uma trepadeira que sobe por um alpendre acima e um baloiço. Olhas frequentemente para aquele espaço a pensar que deve ser relaxante cuidar de um jardim - plantar por estaca ou a semente, podar árvores, regar, escolher sombras para viveiros e cantos abrigados para plantas mais frágeis, sujar as mãos de terra, aproveitar o silêncio circundante e gozar a satisfação de ver alguma coisa crescer, num ritmo de paciência.

De entre as muitas imagens fotográficas que coleccionas obsessivamente, tens bastantes dedicadas a paisagens de vegetação densa, mas também outras, em que se desenham varandas e terraços escondidos atrás de vasos de plantas e trepadeiras fortes. Já havias notado em ti esta propensão, capaz de te fazer parar debaixo de uma árvore gigantesca que te deixa perplexa na sua presença de sombra larga. Quantas vezes isto já aconteceu. Gostas destes cenários e gostas de te encontrar dentro deles. São Miguel é isto, como o é também a ilha das Flores com as suas lagoas e cascatas rodeadas de hortênsias e verde, a serra de Sintra num emaranhado de troncos e musgo; todos eles, lugares de encantamento pessoal.

Se alguma coisa te falta - de entre aquelas que se podem adquirir a troco de moeda -, um jardim, é muito provavelmente, uma delas, um pequeno mundo verde que te feche lá dentro. Uma ilha, serás sempre uma ilha.

 

August break - 15 e 16 (Books & Floral)

Os temas do August break para os dias 15 e 16 de Agosto foram, respectivamente, livros e flores.

Para os livros, fica a minha própria estante, ou antes, duas estantes que têm história, pois pertenceram ao escritório do meu avô e eu gosto de as saber com esse passado, tão rotineiramente ligado à vida de um homem que admiro à distância, pela tradição falada da família, pois nunca o cheguei a conhecer.

 

Para as flores, fica esta buganvília em Alcácer do Sal, a lembrar férias e dias bem passados.

São rosas, Senhor, são rosas.

Há um terreno nas traseiras do meu prédio onde tudo cresce em desalinho. Dali sai uma árvore da borracha com a altura de dois andares, malmequeres amarelos que fecham as pétalas ao final do dia, dois cactos que se enrolam de forma estranha sobre si mesmos, ervas daninhas, urtigas e vegetação seca que albergam, certamente, animais infestados que prefiro nem imaginar e, ali junto à cerca, cresce, todos os anos, uma roseira que nos presenteia com este florir diário e abundante.

"Estas visitas espantosas, em que só se repara por sorte, só são bem recebidas e apreciadas quando a nossa atenção se desliga de nós próprios e do mundo que gira dentro de nós e se vira, como se de uma casa vazia se tratasse, para fora. Há um estado activo de recepção, de estarmos prontos para o que vier, sem termos nada marcado ou expectativa nenhuma.

Não se consegue ver a borboleta se estivermos à espera dela e resolvermos: "Agora vou estar aqui sentado, com a cabeça esvaziada, inteiramente distraído pelo que me rodeia, à espera que me apareça pela frente uma coisa maravilhosa".

Miguel Esteves Cardoso, em Como é linda a puta da vida.

 

So lovely!

[via]

Acho bonitinho, adoro a ideia e já tentei  trazê-la para os meus dias pois acredito que me faria bem e daria um outro alento às horas. Gosto da presença de algo bonito perto de mim.

Mas encontrar e conservar espaço útil na minha secretária para ali pespegar com uma jarra de flores ... é coisa que não me assiste!

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

The New Yorker

Frida Kahlo

Small things

Wise Words

canto de leitura

Your house

Flower Power

Odeio o acordo ortográfico

License

Licença Creative Commons
obra licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.