Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Outro Sentido

Outro Sentido

Este Filme é obrigatório para qualquer cidadão do planeta!

É sempre bom perceber o ponto a que se chega na gestão do nosso dinheiro, perceber que não há depósitos, aplicações, investimentos, poupanças, fundos ou PPRs seguros. Perceber ainda porque é que, sabendo disso, os Bancos continuam a anuncia-los como tal e ter a certeza de que essa "classificação", não passa de uma "opinião" que tem um fim muito específico e que esse fim não tem nada a ver com aquele que aplica o seu dinheiro em vista de determinada expectativa.

Perceber quão longe e quão alto vai a manipulação e que sempre - e sem excepção - a especulação financeira, para além de perigosa e conscientemente arquitectada, só beneficia quem gerindo fraudulentamente informação e fundos, sái incólume mas incalculavelmente mais rico.

Perceber como e porque é que sucessivamente se permite a ausência de regulamentação da actividade financeira e onde, como e porquê isso faz cair, não apenas um Banco (ou dois ou três), mas toda a economia global, num previsto, avisado, esperado, alertado e sucessivamente ignorado colapso.

Perceber que, indiscutivelmente, money makes the world go around (even if it crashes) e que nesta nova ordem global mandam banqueiros  e gestores que convenceram e forçaram tudo e todos à ideia de que o mundo precisa deles e dos seus profundos conhecimentos de um mercado financeiro extremamente complexo para que o os restantes, comum dos mortais exauridos de tudo, possam ter o que comer ou um mísero salário na conta ao fim do mês.

Este filme é obrigatório!

Spider Web

Descobri este fenómeno através da Revista Gingko da qual sou assinante.

As fotografias são da autoria de Russel Watkins e foram tiradas no Paquistão após as cheias dramáticas que ocorreram em 2010. Em apenas uma semana do mês de Julho, choveu tanto quanto é habitual chover numa década. Os rios transbordaram e alagaram campos agrícolas.

Milhões de aranhas refugiaram-se então na copa das árvores e foram aí tecendo as suas teias. O resultado fantasmagórico foi capturado nestas imagens por Russel Watkins.

As árvores estão a morrer mas os habitantes notaram que há muito menos mosquitos, o que reduz os riscos de malária.

Pág. 1/4

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

The New Yorker

Frida Kahlo

Small things

Wise Words

canto de leitura

Your house

Flower Power

Odeio o acordo ortográfico

License

Licença Creative Commons
obra licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.